quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Hoje amanheci com uma saudade velha, naftalinizada, Saudade amarrotada, vencida, Feito saudade escrita em jornal de embrulhar peixes.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Eu posso, mas você não vai esquecer


Não vai esquecer, menina?
Do lado acompanhado, do lábio colado,
Da novidade nos olhos, dos óleos que descobriu,
Da dança imotivada, da pele molhada, do corpo, febril,
Não vai esquecer, menina?
Do que aprendeu ao ver a lua, dos sonhos na rua,
Da taça cheia, do excesso de mel, do creme no canto da boca,
Dos tons, do Tom, querida, bandida,
Do Buarque cantarolado nas manhãs para você acordar,
Não me marcou, menina, pois tudo isso já fazia parte do meu Eu,
Dos meus sonhos, das cortinas brancas... todos já existiam sem você,
Eu posso, menina, mas você não vai esquecer.

domingo, 13 de junho de 2010

Dois pesos e duas medidas.



Em demanda com um professor bacharel da faculdade, fiquei com a nítida impressão de coorporativismo:

1 - Se fazemos uma pesquisa, em que a única regra era a entrega individual da mesma, somos questionados de plágio por tê-la feito em conjunto e entregue individualmente;

2 - O mesmo professor bacharel utiliza questões de concursos em suas provas sem nenhuma citação e não há problema nisso.

Sequer consigo expressar meu espanto.

domingo, 25 de abril de 2010

Frase de Gentileza.

"O padre tá esmolando, o pastor tá pastando e o papa está papando; é um papão!" Profeta Gentileza (1917 - 1996).

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Amo muito isso

Delicia de dia, fiz mais o que eu queria e menos o que não queria. Um dia atingirei a perfeição, estou treinando.

Vazio..

Assim como um copo vazio, pois se estiver com algo dentro, irá misturar, impossibilitando que se possa discernir entre o que havia e o que agora há.
Eu ultimamente tenho acreditado que, escrevendo do final para o começo, permite aos meus dois leitores que, pela correria e afazeres do dia a dia, escolham o que pode ser ou não, de relevante leitura. Apesar da boa redação execrar, vou ao contrário que as regras exigem, pois os caminhos trilhados geralmente estão cheios de ignorância e rotina. Bastando para mim, a obrigação de ser o que a sociedade espera que eu seja, ferindo muitas vezes minha moral subjetiva para manter a objetiva, sem objetivos de agradar, contudo sem desagradar.
A hipocrisia da leitura corrompe hoje em dia, em meio a tantos manuais de autoajuda e gosmentas religiões, quando o leitor persegue o que lhe parece familiar. Esta procura aos iguais pode interferir no processo de entendimento e aprendizado, impedindo o clareamento e desenvolvimento das idéias.
A maioria das pessoas preferem que outras decidam e as guiem pelo caminho, este, em consequência, já percorrido por outros. Diferente disso busco desbravar as idéias, como alguém que nunca as tenha ouvido, pois assim, posso ouví-las de uma forma que talvez não tivesse percebido.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Momento de Poesia.





Se tu desejas e não podes ter
Quem te parece ser de um outro alguém,
Assume-te feliz só por saber
Que neste mundo ninguém dono tem.

Se em vão te iludes e não queres crer
Que pessoas não pertencem a ninguém,
Que não terás o que não pode ser,
Colherás restos de perdido bem.

Abre teus olhos para a realidade,
Recebe a luz e o viço da verdade,
E não te apegues ao que diz a mente.

Não dês ouvidos para os pensamentos,
Lembra-te sempre nos teus sós momentos:
Não é possível ter posse de gente.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Nada de novo sob o sol.

Tem sido um pouco mais dificil eu escrever alguma coisa. Não que as idéias sejam extremamente mediocres, porém tenho notado que estou passando por uma transição de pensamentos. Saindo dos contrastes, percorrendo um iluminismo desprovido e me afogando numa teoria que apelidei de neoliberalismo cristão. Em tempo, não tenho a menor idéia de onde isso vai acabar.

terça-feira, 16 de março de 2010

Desglobalização.

Indo contra todo tipo de padronização, tenho preferências musicais diferentes da bundamusic, cornejo ou funkstein.
Esta música, por exemplo, um bolero com uma divertida letra carioca, com Ângela Maria e João Bosco, é na minha opinião simplesmente ótima.
Ainda mais porque conheço uma assim.


domingo, 14 de março de 2010

Vendo o dia.

Bem meus dois leitores, após anos de silêncio, retomo, a rotina das postagens.
Talvez desmotivado, pois alguns esperavam algo mais denso, com conteúdo.
Mas, não posso negar.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Derrubando paradigmas!

Nestes dias de "single", que eu tenho experimentado toda espécie de fast food, descobri que a frase "apertado feito sardinha em lata" não faz mais o menor sentido:



A esperança morreu!!!!!


Bem, imagino que todos saibam que um 'grilo verde' representa a esperança...


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Verdade, mentira!

É verdade que mudamos, pra melhor ou pior, depende de quem avalia.
Como nada é de graça, ou sem razão, se preferir, o que nos tornamos com o passar do tempo é aquilo que compomos com as experiências vividas.
Mesmo parecendo óbvio, a maior parte da vezes insistimos em permanecer no erro, pois este nos convém. Incontáveis oportunidades deparamos com situações que há conciência do que está para acontecer, mesmo assim, praticamos um estelionato em nossa moral objetiva, no comportamento que esperam de nós.
Frustrações que geram ressentimentos, intolerância, rejeição. Continuam a esperar que sejamos emoldurados pelo usual, como modelos globalizados de personalidade. Aquilo que não se encaixa é fora do padrão, portanto errado, reprovável e dispensável. Talvez por isso tantas máscaras sociais
Nas minhas pequenas subversões não há vontade de chocar, mas fazer aquilo que minha restrita moral subjetiva permite. Que fim levou a individualidade?

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

he he he he

umsabadoqualquer.com